A Raiz Cabocla do iPhone

É bacana contar histórias lindas e melosas, mas o que fazer quando o infortúnio bate a sua porta? hah

O romance de suspense, comédia e drama se desenrolou da seguinte maneira.

Havia acabado de entardecer na praça em frente ao teatro Amazonas. Todas as luzes estavam acesas e o céu tinha o lindo azul escuro pós-chuva amazonense. Crianças pulavam em torno da mulher que vendia bexigas. Um casal aproveitava o escurinho para brincar de pega-pega no banco da praça.

Foi então que o infortúnio aconteceu.

Esta pessoa que vos fala segurava nas mãos uma cumbuca de tacacá fervendo, um livro, a chave do hotel, o celular e para “enlaçar” a história, também tinha o fio do fone de ouvido sambando no peito. Era hora de procurar um lugar para sentar.

Pensem comigo, só podia dar merda né?

Foi nessa hora que o celular se sentiu oprimido e resolveu cometer suicídio. Ele já havia feito isso algumas vezes (esses eletrônicos são temperamentais), mas ele sempre sobreviveu. Só que desta vez ele não contou que estava fora de casa e muito menos que o chão da praça fosse feito de pedras irregulares. Ao pegá-lo na mão vi que o estrago tinha sido feio.

Aí eu fiz o que precisava ser feito. Comi meu tacacá.

Passado o susto eu percebi que o iPhone já era, o lance era usar meu celular reserva e continuar a viagem. Consertá-lo em 2 dias seria impossível (Em SP só um orçamento demora mais de 10 dias) e sairia caro demais comprar outro nesta altura do campeonato. Eu não teria mais a câmera do celular, mas paciência.

No dia seguinte fui fotografar o porto e passei pelas mesmas barracas de camelô de todo dia, lá estavam as camisetas, cuecas e milhares de celulares made in China. Vi o preço de uns dois aparelhos bizarros e resolvi arriscar perguntando se o cara não conhecia alguém que consertasse iPhone. – Claro, fala alí com o Chico… Ôooh Chico, cliente pra você.

Acho que se eu fizesse uma cirurgia de apêndice ao ar livre eu não sentiria tanta aflição como ver o Chico mexer na placa mãe do celular com uma mão e com a outra comer melância. Por incrível que possa parecer, o celular está vivo e a cirurgia demorou só uma hora e meia.

Ah se o titio Jobs visse isso ;)






Ps. A partir de amanhã ficarei isolado do mundo por mais ou menos 12 dias, fiquem com Deus.

18 comentários em “A Raiz Cabocla do iPhone

  1. Mas titio Steve Jobs viu tudo, era ele lá, na mão do Chico Melancia. Mas cadê a melancia ???

    12 dias ? Ok, aguardemos, nos maravilhe na volta !
    bjbjbjbj

  2. Fala a verdade: “cirurgia de apêndice ao ar livre”, você se lembrou de Lost, né? O meu (Iphone, não o apêndice) tá aqui, rachado na traseira. Pedi uma substituta num site xing-ling e estou esperando chegar. Sentei nele. Aqui é BH, mas não conheço um “Chico” que conserte por menos de R$300,00. Acham que sou rica só porque tenho um Iphone4. Isso sim, é preconceito!

  3. hahaha… Viu? O serviço no norte tá melhor que em SP!!! Mas… a garantia é a mesma dos coreanos da 25 de março!!! rsrsrs E ainda com direito a melancia de brinde!
    O que os turistas não fazem por um tacacá!!! rsrsrs

  4. Haha suas histórias são as melhores! ;) Com certeza o serviço está melhor do que aqui em SP.. melhor ou mais eficiente, não sei dizer. Minha alma gordinha não consegue parar de pensar no quão bom deve ser esse Tacacá. rs. Boa viagem, meu doce! Beijo.

  5. Mais uma belissima estória… Se cuida…
    Foi a Primeira “Manrezada”??????
    Beijos,
    Heu

  6. Bom, shit happens! De um goodbless que aconteceu no Amazonas.

    Não sei se contei a você, mas uma vez estava eu no Salão do Turismo em SP, quando um paulistano (não muito gente boa, alguém que não condis com o povo dessa cidade grande) querendo tirar onda com a comitiva nortista, fazendo piadinhas e numa delas perguntou sobre o artesanato local, eis que surge o LULA Jungle Boy (um guia, mateiro e maluco) e fala: “você deve ter muito artesanato de nossa região, basta olhar atrás de sua TV, ta escrito Produzido na Zona Franca de Manaus”.

    P.s.: Boa sorte e por aqui vou-lhe acompanhando. Abraços

  7. Cabra corajoso… deu um frio na espinha ouvindo a história… ufaaa, que alívio!!! O iPhone continua vivo? Ou ta dando sinal de cansaço? rsrs e viva o Chicoooo!!!

  8. Deliciosa estória, recheada com tuas belas imagens, nunca provei Tacaca mas a prosa foi mais gostosa q melancia.
    Grande Abraço.
    PS: Esta se tornando viciante acompanhar essa tua jornada.

Leave a Reply to Henrique Manreza Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *