Primeiras Impressões

Diretamente da bibliteca da Universidade Federal de Roraima começo a escrever o primeiro diário de borbo 15 dias após minha saída de São Paulo.

Boa Vista – RR, 25 de janeiro, aniversário de SP – 13:13 horário local (15:13 horário de Brasília).

Logo de cara é possível sentir a diferença de clima, aqui o calor é constante, só que não possui a umidade característica do Norte, transformando a cidade em um lugar bem suportável.

Fui recepcionado extremamente bem pelo Altamiro Vilhena, editor do fantástico blog Impressões Amazônicas, escoteiro e de quebra, médico pediátra que trabalha com saúde indígena ;) Vale dizer que quem me apresentou o Alta foi um grande amigo em comum chamado Mauro Lages.
Percebam aqui como a internet é louca e aproxima o mundo em um clique: O Mauro mora em Rio Grande (Extremo Sul), eu morava em São Paulo e o Alta em Boa Vista (Extremo Norte), depois de uma pequena troca de e-mails já deu para sentir a receptividade nortista made in Rio de Janeiro associada ao coração escoteiro do Alta, coisa de outro mundo para quem está acostumado com a desconfiança um tanto rude dos paulistas.

Logo que cheguei, jogamos minhas coisas no porta malas e já seguimos para uma comunidade indígena próxima de Boa Vista chamada Tabalascada, onde vivem duas etnias: Wapichana e Macuxi.

Sair de São Paulo diretamente para uma aldeia indígena, mesmo que “urbanizada” e próxima da cidade, é completamente o oposto do que estava sendo meu dia a dia. A terra batida, o calor, os índios, os médicos, enfermeiros e dentistas. Em duas horas fui praticamente apresentado ao mapa do Brasil, todos funcionários dos mais diversos lugares que chegam para trabalhar aqui.

Se eu queria fugir da rotina, foi esse o cartão de visitas que recebi ;)

Início da produção da farinha de mandioca.

10 comentários em “Primeiras Impressões

  1. Vai ver muitas coisas, algumas surpreendentes. Vai sentir em alguns momentos que esse país é realmente grande e faz grandes coisas que não nós damos conta. Vai ver gente simples, mas digma vivendo do que tem sem passar fome e sem vontade de migrar. Vai conhecer pessoas (grandes de expirito) que não foram corrompidas com falsas promessas das grandes cidades.

    Proveita…

  2. Foi um enorme prazer ter oportunizado o encontro de duas almas tão iluminadas como estas que pertencem aos meus amigos Altamiro e Henrique.

    Dois caras únicos que encararam o mundo e serão fonte de infindáveis histórias para o deleite dos amigos.

    Fico ainda feliz em dizer que isso, que você fala logo no início do post “coisa de outro mundo para quem está acostumado com a desconfiança um tanto rude dos paulistas.”, nós chamamos de Fraternidade Mundial Escoteira. Não haverá um só lugar em que você ficará desamparado ou sozinho se lá existir um Escoteiro.

  3. É fio, chegou chegando!! Muito bom, bem roots eu diria. Aquela energia boa da simplicidade. Vai nos atualizando e não economiza nas fotos… Só uma da aldeia indigena???? Muita cara de pau a sua!! Deve ter um material bem legal aí, libera pra galera. Bjao e se cuida!

  4. Realmente não da pra descrever a alegria que senti ao ver essa foto das mandiocas sendo descascadas.
    Por dois motivos:
    1. Me fez lembrar do quanto você tem um dos olhares mais sensíveis que eu ja vi para a fotografia.
    2. Essa sua experiência linda trazendo pra gente o lado humano da vida. fora da loucura da cidade, o stress, o medo, o agito.. a simplicidade.

    <3

  5. Henrique,
    Você está sendo generoso! Só busco tentar deixar o mundo um pouco melhor tentando irradiar felicidade! E seu projeto tem TUDO a ver com isso. Aproveite o norte.
    E Mauro… se você ler esta mensagem, eu que te agradeço pela oportunidade!!!
    Abração,
    Alta

  6. Nossa, me fez lembrar de coisas que vivi e que às vezes penso ter esquecido, mas na verdade elas só estão adormecidas … Provocações internas: boas lembranças… retorno ao passado … nostalgia…saudade … orgulho de termos você que consegue registrar de uma maneira tão sensível a diversidade do nosso lindo país!!!Bjos

Leave a Reply to Simone Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *